Pequim com bebê

Pequim com bebê?? Tem certeza??

Bom, a China não podia ficar de fora de uma volta ao mundo, então incluímos Pequim em nosso planejamento das viagens.

E confesso que (inocentemente) estava empolgada em conhecer a grande capital da China, a cidade milenar, a cidade proibida, cultura e medicina tradicionais, segunda maior economia do mundo…

Chegamos lá achando que iríamos encontrar uma cidade que, apesar dos problemas inerentes a uma grande metrópole, teria pontos positivos suficientes para superá-los… Que grande engano…

HOSPEDAGEM

Nos hospedamos no bairro de Chaoyang, uma região enorme, bem central, movimentado, e supostamente mais receptivo com estrangeiros ocidentais pois é ali que fica o CBD (Central Business District) e diversas embaixadas.

Uma das grandes e bonitas avenidas de Chayoang
Uma das grandes e bonitas avenidas de Chayoang

De fato, vimos muitos edifícios enormes de grandes empresas multinacionais, lojas de marcas de luxo, mas a “receptividade ocidental” parou por aí…

A grande maioria das pessoas não fala nada em inglês e, bem diferente do Japão, ninguém tem muito interesse em ajudar… Ao contrário, algumas vezes tentaram nos aplicar pequenos golpes para extorquir mais dinheiro dos turistas “perdidos” na China…

E mesmo neste bairro mais desenvolvido ainda vimos muita pobreza e muita sujeira.

Importante destacar que boa localização em Pequim é essencial! A cidade é uma mega metrópole gigante, e tudo é muito longe! Então, se alguém precisar ou quiser mesmo visitar esta cidade recomendo ficar em Chaoyang, ou ainda mais especificamente, em Sanlitum (lá embaixo em ‘Passeios’ falo mais sobre este local).

Nosso apartamento em Pequim
Nosso apartamento em Pequim

Nosso apartamento, alugado via AirBnb, era grande e bem espaçoso, apesar de ser um estúdio.

Porém, ao entrar, nos deparamos com um problema que nos acompanhou a semana toda, em quase todos os lugares que fomos: a sujeira.

Culturalmente sabemos que os chineses não são muito ligados à limpeza e higiene, mas o que vimos foi alarmante!

Comprei buchinha nova de lavar a louça, lavei e esterilizei tudo que tinha na cozinha, e limpei o que foi possível na casa. Mas ainda assim não nos sentimos a vontade…

Nossa internet era horrível, lentíssima, e ainda por cima o governo bloqueia sites como Google, Facebook e YouTube! É possível burlar o bloqueio através de uma VPN, mas resolvemos ficar desconectados nesta semana e não cometer nenhum “delito” nesse país de contradições e bizarrices extremas…

ALIMENTAÇÃO

Nossa ida ao mercado foi uma experiência cultural impagável! A realidade nua e crua desse país!

Amamentando no supermercado em Pequim
Amamentando no supermercado em Pequim

Fomos em um Carrefour enorme perto do nosso apartamento, lotado e sujo, mas conseguimos encontrar bons ingredientes para passar a semana. Verduras, legumes, abóbora, batata-doce, noodles e um feijão verde miudinho, chamado Mungbean ou feijão-mungo, que o Chico adorou!!

Mas, estamos na China, então claro que havia coisas estranhas no mercado… Existe uma sessão só de animais vivos! Peixes, caranguejos, camarões e tartarugas (tartarugas!) amontoados em bandejas e aquários, tentando escapar daquela situação pulando para fora, as vezes caindo na bandeja de outro animal, as vezes caindo no chão… Um horror, os pobres animais assustados lutando para sobreviver, uma cena muito triste… Saí de lá estarrecida, em choque com tudo que eu tinha visto.

Um mix do menu de espetinhos de insetos...
Um mix do menu de espetinhos de insetos…

Outra experiência impagável foram as barracas de insetos perto da Praça da Paz Celestial e da Cidade Proibida… Cobras, lesmas, lacraias, aranhas, escorpiões, e até filhote de tubarão, tudo no espeto, prontinho para ser frito e devorado! Não preciso nem dizer que não provamos nada…

E devido à nossa percepção em relação à limpeza e higiene local, para não arriscar nenhum tipo de contaminação alimentar, decidimos que a comida do Chico seria 100% feita em casa, almoço e jantar, e foi tudo perfeito! Marmitinhas para a hora do almoço garantiram tranquilamente nossos passeios!

Dando almoço para o Chico em um cantinho da Praça da Paz Celestial, e alguns chineses curiosos
Dando almoço para o Chico em um cantinho da Praça da Paz Celestial, e alguns chineses curiosos
CLIMA

Já estava friozinho em Pequim! Fomos no começo de Outubro, início do outono, e alguns dias precisamos até de blusa! Pegamos um pouco de chuva em alguns dias também.

Mas para passear até que um tempo mais fresquinho é bom. E além disso, como Pequim é extremamente poluída, a chuva ajudava a limpar um pouco o ar…

ACESSIBILIDADE E ESTRUTURA

Pequim é a capital da China, com mais de 20 milhões de habitantes, então naturalmente tem boa estrutura em termos de transporte público, mercados, hospitais, farmácias, etc.

O metrô é ótimo! Fácil de entender, trens novos com indicações em inglês, boa acessibilidade, e tem muitas linhas! Usamos bastante!

Metrô de Pequim
Metrô de Pequim

Mas os elogios não vão muito mais longe que isso…

Os banheiros de alguns lugares turísticos que fomos eram sujos, cheiravam mal (alguns bem mal) não tinham trocador de bebê, e pior, algumas vezes não tinham nem privada, somete um buraco no chão (banheiro típico oriental)!

Todas as vezes que precisei trocar a fralda do Chico tive que improvisar e usar um banco, cadeira, ou o que tivesse por perto… Somente na estrutura de base da Grande Muralha, no setor de Mutianyu, os banheiros eram bons e tinham trocador.

Aqui também cabe falar da falta de higiene e limpeza que vimos de forma generalizada.

As crianças pequenas fazem xixi em qualquer lugar! Qualquer lugar mesmo, nas ruas, calçadas, praças, pontos de ônibus… As pessoas cospem na rua como se fosse a coisa mais natural do mundo!

Questões culturais a parte, falta de higiene nesse nível deveria ser algo preocupante! Isso sem falar do ar tóxico que se respira nesta cidade, tão densamente poluído que se confunde com neblina…

Poluição vista da nossa janela
Poluição vista da nossa janela

Outro ponto importante é a “malandragem” dos chineses. Em várias situações tentaram nos aplicar pequenos golpes para tirar o máximo possível de dinheiro do nosso bolso. Já somos escolados em algumas situações, mas tem que tomar muito cuidado e ficar de olhos bem abertos a todo momento.

TRANSPORTE

Metrô, como já disse, era muito bom! Dá pra fazer quase tudo usando uma de suas várias linhas. Tem indicações em inglês e é bem simples de entender! O diferente aqui é que toda vez que se entra em uma estação é necessário passar as bolsas e o que mais se estiver carregando pelo raio X, como nos aeroportos.

Tem também uma linha que liga a região central de Pequim direto com o aeroporto, ótima! Em nosso caso, tivemos que fazer uma baldeação entre duas linhas, mas mesmo assim foi facílimo!

Utilizamos ônibus somente uma vez, para ir até a Grande Muralha, de Pequim até Mutianyu, e foi, digamos, uma aventura! 2,5 horas de ida, com muito trânsito, mais 2 horas de volta a noite, em um ônibus apertadíssimo, lotado, com pessoas viajando em pé no corredor inteiro… valeu a pena pela Muralha (e muito!), mas viajar de ônibus pelo começo do interior da China é bem intenso, em todos os sentidos!

PASSEIOS

Tentamos duas vezes entrar na Cidade Proibida, mas os ingressos estavam esgotados nos dois dias… Visitamos a cidade coincidentemente no período de um feriadão nacional, de Comemoração à Pátria, quando muitos chineses de vários lugares do país vão à capital Pequim participar das celebrações. Ou seja, estava tudo absolutamente lotado! E com isso ficamos sem entrar na Cidade Proibida em si, tivemos que nos contentar com o parque em volta, que é bem bonito e também possui construções milenares lindas que hoje funcionam como museus…

Parque da Cidade Proibida
Parque da Cidade Proibida

Ao lado deste parque fica a famosa Praça da Paz Celestial, ou Praça Tiannamen, que é imensa! Muito bonita, com jardins incríveis, cheia de edifícios e monumentos, militares-robôs vigiando todo mundo com olhos atentos e um palanque enorme e lindo, com uma foto intimidadora de Mao Tse Tung em seu centro, de onde são feitos os discursos pseudo-comunistas do ditador, ops, presidente da República Popular da China. A praça foi feita para caber nada menos que 600 mil pessoas! E estava lotadíssima por causa do feriado! Muitas pessoas com adesivos da bandeira da China no rosto, bandeirinhas na mão, quase hipnotizados admirando cada monumento e venerando o cenário típico de um regime que controla cada passo de sua população…

Palanque na Praça da Paz Celestial
Palanque na Praça da Paz Celestial
Multidão chegando na praça
Multidão chegando na praça
Lindos jardins
Lindos jardins

Tanto na Praça quanto no Parque da Cidade Proibida o Chico ficou no meu colo quase o tempo todo, dentro do sling! Primeiro porque os lugares estavam assustadoramente lotados, segundo porque eu estava cansada dos chineses pegarem o Chico no colo sem minha permissão e enchê-lo de beijos, e terceiro porque o chão em Pequim é muito, mas muito sujo! E olhe que o Chico anda muito descalço, adoro deixá-lo sentir as diferentes texturas do chão, mas aqui, com crianças fazendo xixi em qualquer lugar e quase todo mundo cuspindo com a mesma naturalidade com que se toma água, não tem a menor condição! Já era suficiente o Chico ter que respirar aquele ar poluído, não precisava de mais exposição…

Escadarias para um dos templos do Temple of Heaven
Escadarias para um dos templos do Temple of Heaven

Fomos também ao Temple of Heaven, um complexo de templos religiosos da idade média, que fica dentro de um parque bem bonito. Neste parque vimos uma aula pública de dança de salão muito legal! Ali pude deixar o Chico mais a vontade brincando e correndo, pois estava menos cheio, mas ainda assim as fotos continuavam! Os chineses são loucos por crianças! Talvez por ser raro ver um turista com um bebê por aqui… Ou ainda pode ser uma consequência indireta do rígido controle do governo sobre o número de filhos das famílias (política do filho único, que ficou em vigor de 1979 até final de 2015). Em todo caso, chega a ser até um pouco insano, então mantinha meus olhos bem atentos a cada mini-passo do meu pequeno pelas ruas de Pequim…

Chineses fotografando o Chico no Temple of Heaven
Chineses fotografando o Chico no Temple of Heaven
Mais uma sessão de fotos...
Mais uma sessão de fotos…
E pegando no colo...
E pegando no colo…
Entrando na dança na aula pública no parque do Temple of Heaven
Entrando na dança na aula pública no parque do Temple of Heaven

Conhecemos o Silk Market, que nada mais é que um shopping center de 7 andares de roupas e acessórios de luxo, eletrônicos e souvenirs. Não vale a pena!!! As lojas, apesar de venderem produtos de luxo (verdadeiros ou não, nunca se sabe a procedência exata), são horríveis, com coisas amontoadas, vendedores com reações exageradas para conseguir vender algum produto, enfim, uma experiência totalmente desnecessária, ainda mais com crianças.

De lá seguimos até Sanlitum, uma região no próprio bairro de Chaoyang onde se concentram embaixadas, vários bares e restaurantes, shoppings e lojas de marcas internacionais luxuosas. É uma área super nobre de Pequim, bem mais “ocidentalizada”, e onde se pode ver contradições absurdas do estranho comunismo chinês. Miséria e sujeira em toda a cidade, e alguns poucos quarteirões de puro luxo onde até padarias tinham preços exorbitantes…

Shopping I.T Market em Sanlitum
Shopping I.T Market em Sanlitum
Escultura no I.T Market
Chico se divertindo em uma escultura no I.T Market

E finalmente, encaramos uma maratona que valeu cada passo para ver de perto a Grande Muralha da China!!! Ver de perto e o melhor, caminhar sobre ela! Decidimos ir até o setor de Mutianyu, que é uma das áreas mais preservadas da Muralha.

Bondinho para subir até a Muralha
Bondinho para subir até a Muralha

2,5 horas de ônibus (fora a fila e fora as andanças para encontrar a estação correta), 30 minutos de van (fora o stress da negociação louca com o motorista para não ser extorquido), micro-ônibus até o bondinho, fila imensa, e (ufa) bondinho até a muralha… Só a ida demorou mais de 4 horas! Mas caminhar sobre uma das maravilhas da Terra é tão emocionante que vale qualquer perrengue. O Chico foi muito tranquilo em todas as etapas, mamando, dormindo, brincando, cantando, comendo nas horas (mais ou menos) certas… Tentamos sempre fazer os passeios com ele de maneira que ele veja tudo como uma brincadeira, e ver seus olhinhos interessados em tantas coisas novas é incrível!

Descendo as íngremes "ladeiras" da Muralha da China
Descendo as íngremes “ladeiras” da Muralha da China

Caminhamos bastante sobre ela, em suas subidas e descidas íngremes, com o Chico no sling admirando a paisagem com a gente! Inesquecível e absolutamente sensacional!

Amamentando na muralha...
Amamentando na muralha…

E no fim do dia mais 4 horas para voltar a Pequim, recompensados com tanta beleza!

Este setor da Muralha, além de ser super bem preservado, tem uma estrutura excelente para turistas. Na base da montanha fica uma área de visitantes repleta de restaurantes, banheiros e lojas de souvenirs, além do ótimo serviço de bondinho, que apesar de ser caro e da fila enorme é uma boa opção que economiza uma pequena subida de mais de 4.0000 degraus… Com criança é quase obrigatório ir de bondinho!

Chico fazendo amigos em um restaurante na base da Muralha
Chico fazendo amigos em um restaurante na base da Muralha
As paisagens incríveis da Muralha
As paisagens incríveis da Muralha

A Muralha é realmente fantástica! Mas ainda assim, pra mim não vale a pena respirar o ar desta cidade

E PRA CONCLUIR…

De forma bem simples e direta: Não vá a Pequim com um bebê!

Claro que esta cidade tem coisas interessantes, história e cultura milenares, a Grande Muralha que dispensa comentários pela sua beleza e grandiosidade. Mas a poluição, a falta de higiene e a sujeira fazem com que tudo isso não valha a pena quando se está com um pequeno a tiracolo. Nossa experiência foi muito ruim!

Expor o Chico a este ambiente quase hostil de poluição me fez muito mal. Vê-lo respirando aquela “neblina” tóxica cheirando a fuligem e fumaça me doeu a alma. Se para mim era difícil inalar aquele ar, imagina para ele, com seus pulmõezinhos quase intactos, quase recém-formados??

Portanto, a não ser que você tenha necessidade absoluta, adie sua viagem a Pequim por muito tempo – quiça por toda a vida…

Para mais detalhes de nossa viagem a Pequim, contamos tudo aqui!

Próxima parada: Kuala Lumpur!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *